Bolsa Família: Tire todas as suas dúvidas sobre esse benefício

Você provavelmente já deve ter ouvido falar sobre o Bolsa Família, certo? Mas você sabe como ele funciona e quem pode participar?

Se não sabe, fique tranquilo! Hoje vamos te explicar tudo sobre esse programa do Governo Federal.

Assim também, vamos tirar suas dúvidas sobre o empréstimo do Bolsa Família, o auxílio emergencial, o calendário do bolsa família e como funciona o aplicativo para aqueles que possuem esse benefício.

História do Bolsa Família

Antes de tudo, o Bolsa Família, é um programa social que foi criado em 20 de outubro de 2003, durante Governo Lula com o intuito de ajudar famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza.

Mas foi em 2004 que passou a ser Lei Federal e dar o direito a uma vida melhor para diversos núcleos familiares considerados de baixa renda.

Do mesmo modo, o Bolsa Família foi uma junção de outros programas que já existiam no Governo FHC, que era o Bolsa Escola, Bolsa Alimentação, Auxílio Gás e outros.

Além disso, antes do programa Bolsa Família ser instituído, já existia outro programa criado para combater a fome, chamado de Fome Zero. Que tinha o mesmo intuito que o Programa Comunidade Solidária, criado pelo FHC.

Porém, o projeto para combater a fome e desigualdade no país não deu certo. Então, em 2004, surgiu a ideia de unificar outros programas já existentes para dar origem ao Bolsa Família.

Popularidade do programa Bolsa Família

Com o programa, famílias começaram a receber uma ajuda financeira para complementar sua renda e participar de outros programas que dão direito a saúde, educação, moradia e alimentação.

Atualmente, o programa já conta com 13,1 milhões de famílias que fazem parte, o que seriam aproximadamente 40,08 milhões de pessoas, se forem considerados os integrantes do núcleo familiar que atendem aos requisitos.

Desde seu início, o Bolsa Família além de melhorar a renda de diversas família, ajudou a incentivar jovens e crianças a terem acesso ao ensino básico e gestantes a receberam um acompanhamento durante a gravidez, como o pré-natal.

Alguns requisitos para participar do programa

Quem tem direito a participar desse programa?

As pessoas que têm direito a participar do programa são famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza, que devem ter uma renda mensal específica por integrante. Confira abaixo como funciona.

Renda Familiar

As pessoas de extrema pobreza devem ter renda mensal de até R$ 89,00. Já as famílias em situação de pobreza devem ter renda entre R$ 89,01 a R$ 178,00 por pessoa. Também precisam ter gestantes, crianças ou adolescentes de até 17 anos em sua composição.

Quais são os benefícios do programa?

Além de um auxílio para complementar a renda mensal, a família pode ter direito a serviços públicos como na área da saúde, educação, alimentação e assistência social.

Como se cadastrar no Bolsa Família?

Antes de tudo, para participar do programa é preciso se inscrever no Cadastro Único para verificar se você está de acordo com as especificações para receber o auxílio, confira abaixo como fazer esse cadastro.

Cadastro Único

Conhecido também como CadÚnico, é uma maneira de coletar dados e informações da população. Por meio dele é possível verificar quais são as famílias que são baixa renda e que podem participar de programas sociais.

Depois de cadastradas e caso sejam selecionadas, essas famílias passam a receber assistência para melhorar suas vidas, combater a fome, o desemprego e desigualdades sociais.

O Cadastro Único, geralmente é administrado pelo Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) ou pela Central de Atendimento do Bolsa Família.

É por meio deles que o cidadão consegue se inscrever para participar de programas do governo e verificar se está de acordo com o regulamento do Bolsa Família.

Além disso, para participar as famílias devem comprovar que ganham meio salário mínimo por pessoa que seria R$ 522,50 e sua renda total deve ser de 3 salários mínimos, que seria R$ 3.135.

Quais documentos são preciso para se cadastrar?

Para fazer seu cadastro e participar do Bolsa Família, você precisará levar alguns documentos que são essenciais para comprovar que você está apto para receber o benefício, confira abaixo.

  • Carteira de trabalho
  • RG
  • CPF
  • Título de Eleitor
  • Certidão de casamento
  • Certidão de nascimento
  • Comprovante de residência

Também vale lembrar, que após seu cadastro ser concluído, é preciso sempre mantê-lo atualizado.

Por isso, no caso de você mudar de endereço, terá que entrar em contato com o CRAS e pedir para alterar seus dados.

Ainda sim, é importante fazer uma atualização a cada 2 anos, pois seu benefício pode ficar bloqueado até que seus dados sejam mudados.

Qual o valor do benefício do Bolsa Família?

A princípio, o valor do benefício é de R$ 41,00, mas as famílias podem receber até 5 benefícios mensalmente e acumular o valor de R$ 205,00.

Entretanto, isso dependerá da composição familiar, confira abaixo como funciona essa distribuição dessa renda.

Benefício de acordo com a composição familiar

  • Variável de 0 a 15 anos: Destinado a crianças e adolescente de 0 a 15 anos, a família ganha o benefício de R$ 41.
  • Variável à Gestante: Para gestantes que tenham sido cadastradas até o nono mês de gestação, ganham o benefício de R$ 41.
  • Variável Nutriz: Para família com crianças de 0 a 6 meses, o benefício ajuda na alimentação do bebê e a mãe recebe R$ 41.
  • Variável Jovem: Para famílias com jovens de 16 e 17 anos, ganham o benefício de R$ 48,00 por mês. E podem acumular até R$ 96,00.

Onde posso sacar o dinheiro do Bolsa Família?

Você pode sacar em qualquer agência da Caixa Econômica Federal, basta levar seu CPF ou RG e o cartão Bolsa Família. Geralmente, esse cartão é dado a um integrante da família responsável por receber todo mês esse auxílio.

Calendário do Bolsa Família

Outra maneira de acompanhar quando o dinheiro irá cair, é verificando o calendário do Bolsa Família que serve para aqueles que recebem o benefício todo mês.

Dessa maneira, é possível verificar quando será depositado o dinheiro e assim se programar para realizar o saque, pagar contas etc.

Geralmente, o benefício é pago nos 10 últimos dias úteis do mês.Por exemplo, o cidadão só poderá fazer o saque do dinheiro do mês de janeiro nas datas do dia 20 até 30 desse mês.

Do mesmo modo, a data também pode variar de acordo com o NIS (Número de Inscrição Social), que é possível verificar no cartão Bolsa Família. Por exemplo, se meu número for 4, terei que olhar no calendário quais datas correspondem a numeração do cartão.

Todo ano o calendário é atualizado e divulgado nos sites do Governo Federal e para aqueles que usam o aplicativo do Bolsa Família, conseguem ver a data pelo celular.

Aplicativo do Bolsa Família

O aplicativo do Bolsa Família CAIXA, disponível para Android e iPhone, serve para que você possa acompanhar quando será o pagamento do benefício, exibe seu extrato, saldo e mais informações sobre o programa.

Da mesma forma, no aplicativo você tem acesso ao Calendário do Bolsa Família, que indica quais serão as datas disponíveis para o saque do dinheiro.

Por meio dele, você também pode verificar quais são as agências da Caixa perto de você e quantas parcelas do seu pagamento já foram agendadas.

Para usar o aplicativo, basta ir até a loja de aplicativos do seu celular, pesquisar por Bolsa Família CAIXA e esperar o download. Em seguida, abra o app e digite seu NIS ou CPF, depois é só começar a usar!

Oportunidade no mercado de trabalho para famílias baixa renda

Empréstimo do Bolsa Família

Você sabia que famílias que participam do Bolsa Família têm direito a uma linha de crédito? Isso mesmo, você pode fazer um empréstimo através desse programa! Confira abaixo como funciona o Plano Progredir, que dá acesso ao microcrédito para pequenos empreendedores.

Plano Progredir

Com o Plano Progredir, aqueles que estão inscritos no Cadastro Único e que recebem o benefício do Bolsa Família, podem solicitar crédito para incentivar investir no seu próprio negócio. É uma maneira de incentivar o empreendedorismo e profissionalização de famílias de baixa renda.

Como se cadastrar no Plano Progedir?

Primeiramente, para se cadastrar é preciso já estar inscrito no CadÚnico e ter seu CPF em mãos. Depois disso, você pode entrar no site do Progredir, clicar em “novo cadastro”.

Em seguida, basta preencher todos os seus dados de acordo com os informados durante o preenchimento no Cadastro Único e aguardar para ser selecionado.

Quais são os benefícios desse programa?

O programa oferece cursos profissionalizantes, linha de crédito, emprego e renda para população sair da zona de pobreza.

Assim como, conseguir uma vaga de emprego ou abrir seu próprio negócio. Também é por meio dele que muitos podem solicitar o microcrédito.

O que é microcrédito?

É um empréstimo com valores mais baixos para empreendedores informais que fazem parte do Cadastro Único e que não consigam solicitar o empréstimo convencional por não terem renda suficiente.

O microcrédito deve ser usado apenas para investir em seu próprio negócio e para mantê-lo. Contudo, um dos requisitos é comprovar seus gastos durante o processo.

Depois disso, é disponibilizado um valor de até R$ 15 mil para empreendedores. Contudo, vale lembrar que e os juros variam de acordo com a empresa financeira que disponibilizará o empréstimo.

Quem tem direito ao microcrédito?

Antes de mais nada, quem tem direito a essa linha de crédito são famílias que têm renda mensal menor que R$ 170. Do mesmo modo, familiares que possuem crianças e jovens de 6 a 17 anos e que estejam matriculados em escolas.

Essas pessoas também devem estar participando de alguma ação ou programa social do Governo Federal, mas não precisam necessariamente fazer perto do Bolsa Família.

Quais empresas oferecem o microcrédito?

Essas empresas que oferecem o microcrédito são o Banco do Brasil, Banco do Nordeste e Caixa Econômica Federal, mas as taxas de juros cobradas por eles podem variar.

Como a Caixa Econômica Federal que oferece taxas mais flexíveis de aproximadamente 1,99% ao mês para seus correntistas.

O que preciso para solicitar o microcrédito?

Primeiramente, você precisa estar inscrito no Cadastro Único, ter até um salário mínimo e meio, ter cadastro no Microempreendedor Individual (MEI) e já estar cadastrado no site do Progredir.

O que é o MEI?

O Microempreendedor Individual (MEI), é um cadastro para empreendedores que possuem pequeno negócio. Bem como, esses profissionais conseguem formalizar sua rotina de trabalho e têm direito a licença-maternidade, aposentadoria e outros benefícios.

Como fazer um MEI?

Para se cadastrar, você só precisa entrar no site Portal do Empreendedor, colocar seus dados pessoais, como o nome completo, endereço e outros dados.

Além disso, será preciso informar a área em que está trabalhando. Depois que seu cadastro for concluído, você consegue ter um CNPJ para sua empresa e formalizar seu negócio.

Ajuda financeira em tempos de crise

Antes de mais nada, quando a Organização Mundial da Saúde decretou que diversos países, inclusive o Brasil, estão enfrentando uma pandemia do COVID-19.

Muitas empresas grandes e pequenas, assim como trabalhadores informais, tiveram que se adaptar e encontrar maneiras de sobreviver durante esse período.

Com isso, o Governo Federal criou uma maneira de ajudar trabalhadores de baixa renda a conseguirem manter seu negócio em tempos de crise, pagando um auxílio emergencial no valor de R$ 600.

Auxílio Emergencial do Bolsa Família

O auxílio emergencial foi criado para ajudar trabalhadores informais, autônomos e microempreendedores individuais, durante a pandemia do coronavírus.

Essas pessoas podem receber a quantia de R$ 600 para ajudar a manter seu negócio, pagar contas, aluguel etc. Ao mesmo tempo, aqueles que fazem parte do Programa Bolsa Família também tem direito a esse benefício. Entretanto, precisam ganhar todo mês uma quantia inferior a R$ 600.

Ainda sim, se você já está inscrito no CadÚnico não precisa se preocupar, pois esse dinheiro será transferido para sua conta do auxílio do Bolsa Família. Além disso, com seu cartão Bolsa Família você poderá sacar essa quantia junto com seu benefício mensal.

Muitos de brasileiros já conseguiram o auxílio emergencial

Atualmente, cerca de 6 milhões de pessoas já receberam o auxílio emergencial. E segundo a Caixa, cerca de R$ 11,4 milhões foram depositados na conta de cerca de 16,6 milhões de brasileiros.

Segundo o Dataprev, aproximadamente 45,2 milhões de pessoas conseguiram se cadastrar e tiveram sua solicitação do auxílio emergencial aprovado.

Além disso, de acordo com os dados coletados desde o dia 7 de abril até o momento, cerca de 19,2 milhões são inscritos no Bolsa Família e 16,4 milhões são microempreendedores individuais ou trabalhadores informais.

E se você ainda não verificou se tem direito a receber esse auxílio. Você pode entrar no site da Caixa Econômica Federal ou pelo aplicativo do Auxílio Emergencial, disponível para Android e iPhone.

Em seguida, basta fazer o cadastro informando sua renda e em qual área você trabalha, caso seja trabalhador informal, autônomo ou MEI. Depois é só aguardar se seu pedido será aceito ou não.

Para mais informações sobre o Bolsa Família

Por fim, em caso de dúvidas ou para saber mais sobre o Programa Bolsa Família, acesse o site do Governo Federal ou vá até uma das unidades do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de sua cidade. Nessas unidades você consegue verificar se pode participar desse e de outros programas sociais.


Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *